10 anos de Koos (parte 1)

Koos
Robbert-Jan van Oeveren

Tempo de leitura
5 min Lê

Data
Out 28, 2020

No ano passado, celebrámos o décimo aniversário da Koos. Naturalmente, este marco é o momento perfeito para olhar para trás. Nesta série de três blogposts, Robbert-Jan – um dos fundadores da Koos – reflecte sobre uma década de Koos, respondendo a dez perguntas. Nesta primeira parte, voltamos ao início da Koos e respondemos à pergunta do milhão de dólares: de onde vem o nome Koos?

A Koos foi fundada em 2009, porque decidiram fundar a empresa?

Não sei porquê, mas sempre tive a vontade de criar a minha própria empresa. Talvez tenha sido por ter vindo de uma família de empresários. Ou talvez tenha sido por causa da empresa que possuía durante o meu tempo de estudante em Delft. De qualquer forma, o impulso esteve sempre presente. Depois de ter terminado o meu mestrado em Design Estratégico de Produto na Universidade de Tecnologia de Delft, decidi viajar pelo mundo. Nesta viagem, parei em Melbourne para visitar o Jules, meu amigo da universidade. Ele já lá vivia e trabalhava há três anos, e decidiu regressar a casa pouco tempo depois.

RJ e Jules no festival St. Kilda em Melbourne, fev 2009

Assim, enquanto bebíamos whisky no bar do telhado do hotel, discutimos o futuro. O Jules explicou que tinha estado a falar com um recrutador e que tinha de preencher um formulário de onboarding. Nesse formulário, havia uma pergunta de checkbox onde ele tinha de escolher entre investigação, design e marketing. Não posso selecionar mais do que uma? Não, tem de escolher. Mas eu quero mais… Desculpe, isso não é possível. 

O Jules e eu rapidamente concordámos e acreditámos que tinha de haver outra abordagem. Uma em que combinaríamos diferentes expertises para criar os melhores produtos e serviços. O problema era que, em 2009, havia muito poucas empresas que oferecessem tais postos de trabalho. Naquele momento específico, a ideia surgiu; porque não começarmos nós próprios a trabalhar?

É certo que eramos um pouco ingénuos. Afinal, quem vai confiar a inovação de serviços da sua organização a dois tipos com pouca ou nenhuma experiência profissional e uma rede profissional limitada? No entanto, as nossas ambições eram enormes. Decidimos simplesmente ir em frente. Ali, naquele terraço, em Fevereiro de 2009, nasceu a Koos.

Jules e eu concordámos logo que tinha de haver outra abordagem. Uma abordagem em que combinaríamos diferentes expertises para criar os melhores produtos e serviços.

De onde vem o nome Koos?

A maioria das empresas da nossa área de trabalho têm nomes muito sérios com palavras como: Inovação, acelerador, consultor, CX Excellence Innovator 3.0 Ultra, etc. No entanto, acreditamos que no nosso trabalho é tudo sobre as pessoas. Por isso, decidimos apresentar a Koos como um verdadeiro ser humano, ao ser um nome tradicional holandês.

O nome representa o “down-to-earthness” holandês que imaginámos para a empresa e para os colaboradores. ‘Koos’ é uma pessoa que não tem medo de ser aberta, honesta e franca. Ele não usa termos de consultoria difíceis, mas sim uma linguagem clara e compreensível. Um dos nossos primeiros clientes, Eric Schriber da Sanoma, descreveu Koos na nossa avaliação como uma “empresa refrescante e apaixonada”. Esta é uma descrição que pensávamos reflectir realmente o carácter da Koos e que desde então nos esforçamos constantemente por estar à altura.

A propósito, sabiam que o nosso primeiro logótipo foi um tipo pequeno com óculos de designer e que o nosso primeiro website foi completamente escrito do ponto de vista da primeira pessoa? O que não prevíamos era que as pessoas estavam a confundir a Koos com um freelancer individual e não com uma empresa. Por isso tivemos de mudar o website completo para um mais compreensível ‘Olá, nós somos Koos’.

A primeira versão do website da Koos, escrita numa perspectiva de primeira pessoa

Voltemos a 2010, como foi o primeiro projecto da Koos?

Um grande sucesso, haha! Fizemos um workshop incrível pelo espantoso montante de 263,80 euros (250 euros para nós mais 13,80 euros para os PostIts). Mas a sério, o nosso primeiro grande projecto foi para a Sanoma digital, onde trabalhámos para a Startpagina.nl. Fomos apresentados por um estagiário, que nos conhecia desde a universidade. Não foi exactamente a introdução imaginada ao nível do conselho executivo, mas fomos convidados para um pitch. 

Depois de termos feito um pitch para eles, voltamos para o elevador e estávamos a brincar sobre o apelido do Jules (que é Prick e, portanto, inquestionavelmente hilariante) e do seu tio “Harry Prick” (diz isso em voz alta. Vês?). Para nós, este foi apenas um pequeno momento divertido onde conversamos com o nosso potencial cliente. Mais tarde, eles disseram-nos que foi o momento em que decidiram escolher-nos em vez dos outros. Claro que fizemos um bom pitch, mas acima de tudo, eles esperavam que fosse realmente divertido trabalhar connosco.

Workshop de personas com a equipa da Sanoma Startpagina em 2010

Em 2009, a Startpagina esteve entre os vinte sites mais visitados na Holanda. No entanto, o número de visitantes estava a diminuir. Embora ainda fosse uma grande cash cow, eles não sabiam quem era o seu visitante e porque se iam embora. A nossa tarefa era conhecer o utilizador da Startpagina e ver como poderíamos revitalizar este ícone da Internet holandesa.

Foi um projecto muito desafiante no qual fizemos muita pesquisa exploratória, criámos uma segmentação baseada nas necessidades e personas, criámos muitas ideias que foram traduzidas para designs no website (o nosso primeiro projecto UX!) e apresentadas num roadmap para implementar as melhores ideias nos próximos anos. Um projecto típico de ‘double diamond’, que ainda hoje constitui a base dos nossos projectos de service design.

 

Fim da parte 1…. Fica atento a mais história da Koos!

Fica atento a mais história da Koos. Entretanto...

Preparing for the new world

Como satisfazer as necessidades relacionadas com o trabalho?

O novo equilíbrio entre a vida e o trabalho

Porque é que o design pode ajudar a tua empresa em tempos de crise

Como configurar um user test remoto?

Quando a tua casa se torna o teu escritório

10 anos de Koos (parte 2)

A Employee Experience transcende os RH.

Touchpoint Strategy Canvas  –  uma ferramenta útil para combinar Service Design com UX design

Introdução ao Modelo de Amadurecimento de Service Design