Estás a cometer estes erros na tua Transformação (Digital)?

Koos
Eloi Guterres

Tempo de leitura
4 min Lê

Data
Nov 27, 2021

Há que ousar fazer diferente, a maioria das empresas já percebeu isso.

Já ninguém tem dúvidas de que está na hora de mudar.

 

A Pandemia criou uma crise económica evidente, que afeta particularmente certas indústrias, e que ainda está no seu início. Mas esse não é o único fator disruptivo. Os clientes mudaram, o nível de exigência também, e os concorrentes já não chegam só da porta ao lado, mas sim do outro lado do planeta.

 

Aquilo que vos fez chegar até onde estão agora, não vai ser o mesmo que vos vai levar aos próximos patamares.

 

Há Governos que já estão a desenhar os seus planos de recuperação da economia, ou com fundos próprios, ou com fundos Europeus. Mas independentemente de se conseguir acesso a esses fundos, ou da utilização de reservas próprias, a mudança urge e os fundos terão de ser muito bem geridos. A alternativa é a perda de relevância no mercado e possível extinção.

Mais importante do que fazer os projetos bem, é fazer os projetos certos.

Há que ousar fazer diferente, a maioria das empresas já percebeu isso. Mas… e agora?!?

Vamos abordar os 3 erros mais típicos:

 

1. Achar que se fizermos bem os projetos todos que temos escolhidos na nossa estratégia, dentro do orçamento, dentro do prazo, com o âmbito determinado, vai correr tudo bem!

Errado. Mais importante do que fazer os projetos bem, é fazer os projetos certos.

O que é que isto quer dizer? Muitas vezes a estratégia de uma empresa é apenas uma coleção de projetos que cada uma das suas direções pretende ver implementados.

No entanto, faz falta um trabalho anterior a listar esses projetos e a usar boas práticas de gestão de projetos para os concluir com sucesso.

Faz falta perceber – em conjunto, sem silos – quais são os projetos certos a realizar. Quais são aqueles que estão mais alinhados com os desejos da organização e dos seus clientes, e consequentemente vão trazer melhores resultados à empresa.

 

2. Achar que fazer diferente significa descartar tudo aquilo que se fez até então.

Errado. Uma empresa acumulou muito conhecimento ao longo dos anos, que é um património que não se pode perder. 

Com isto não quer dizer que se continuem a fazer as coisas da mesma forma, pois fazê-lo e esperar resultados diferentes é a definição de loucura, já o dizia Einstein. 

Há sim que incorporar essa sabedoria no desenho de novas formas de fazer as coisas, em equipas multidisciplinares, de forma ágil, participativa, iterativa e – porque não – divertida.

3. Achar que se os Líderes da Empresa estiverem motivados e forem inspiradores, a transformação vai ser fácil.

Bem… aqui não posso dizer que esteja completamente errado. Errado está achar que isso é suficiente. 

Sim, é crucial ter líderes motivados e inspiradores, mas ainda mais importante é ter toda a gente na mesma página, em relação ao que está a acontecer na empresa – que é de todos.

Comunicar, envolver, ouvir, incluir. Mudança não se faz para alguém, faz-se com alguém.

 

É nesta parte final em que vos digo como o Service Design vos pode ajudar a escolher esses projetos chave à vossa organização.

Numa altura em que os recursos são cada vez mais escassos, é crítico realizar boas escolhas: 

  • Perceber as necessidades dos vossos clientes e desenhar as melhores soluções, sejam produtos, serviços ou jornadas de cliente cativantes
  • Criar produtos que as pessoas realmente queiram usar, seja dentro da vossa organização, ou direcionados aos vossos clientes
  • Criar e conduzir transformações organizacionais que tenham o indivíduo como foco central. Pessoas felizes provocam clientes felizes!

Tudo isto feito com uma abordagem consciente, inclusiva e sustentável. 

 

Feita uma pequena reflexão, chega então a hora da verdade: Qual o caminho que vais querer seguir?

Queres saber mais sobre digital transformation?

Find out which digital platforms perform best to manage your CX!

The cash cow is dead. Welcome to Bèta-world.

Why we are fans of customer experience management, and you should be too!

Service Design Days 2020: Harry Potter, Kings Cross and Spaceships

Service Design and the transition to a Circular Economy

Relembrar o nosso primeiro projeto 100% remoto

Preparar para um novo mundo

Como satisfazer as necessidades relacionadas com o trabalho?

O novo equilíbrio entre a vida e o trabalho

Porque é que o design pode ajudar a tua empresa em tempos de crise